ESG e gestão estão no topo da pirâmide do desenvolvimento do agronegócio

Atualizado: Jun 15




ANEFAC desenvolverá diversas atividades na sua área de inteligência de mercado voltada aos agronegócios

O agronegócio surge no horizonte com grandes possibilidades de crescimento em 2021, mesmo com o cenário atual. Ano passado, segundo a Confederação da Agricultura e Pecuária do Brasil (CNA) representou 23,6% do Produto Interno Bruto (PIB). Atenta a isso, a ANEFAC criou a sua área de Inteligência de Mercado Agro, que visa possibilitar o aprimoramento em conhecimento em prol das pessoas, das empresas e da sociedade, que atuam e são impactadas nesse mercado.

Toda a cadeia produtiva do agronegócio está em amplo desenvolvimento seja com insumos, na agropecuária, na agroindústria e ou nos agroserviços. “A grande questão do crescimento é a necessidade constante das melhores práticas empresariais. O setor trata de problemas reais principalmente aqueles relacionados a riscos, ESG (em português: ambiental, social e governança), controles, transparência, entre outros. A ANEFAC, com essa área de inteligência voltada ao agronegócio, visa trazer à essas empresas e aos seus profissionais as oportunidades e também os desafios do setor, mostrando um pouco de perspectivas econômicas, transparência na cadeia de valor (rastreabilidade), mudanças do consumidor, novas formas de trabalho, inovação (rupturas necessárias), tendências, gestão financeira, tecnologia, governança, capital humano, os aspectos ESG e educação continuada”, explica Bolí Rosales, superintendente da ANEFAC.

O Comitê Executivo, responsável pela área de Inteligência de Mercado Agro ANEFAC, é composto pelos membros da diretoria, Marcos Grigoleto, sócio da KPMG, Roberto Rodrigues, diretor na R. R. Life Capital & Consulting, e Giovana Araújo, sócia da KPMG. “As empresas, que estão inseridas dentro do agronegócio brasileiro, precisam cada dia mais aprimorar as suas práticas empresariais. Esse processo passa pela renovação das suas estruturas e a profissionalização dos seus profissionais. Para ganhar competitividade, estar atento às boas práticas do mercado é indispensável”, avaliam os especialistas.

Como os fatores ESG estão impactando o agronegócio

A ANEFAC desenvolverá diversas atividades na sua área de inteligência de mercado voltada ao agronegócio, estão previstos circuitos, fóruns, seminários, conteúdos, entre outros. O 1º circuito discutiu as mudanças e o novo papel do setor financeiro como articulador das práticas de ESG no agronegócio e aconteceu em abril, confira o evento na íntegra: https://www.youtube.com/watch?v=C51TLlFCc88

Os critérios ESG envolvem uma série de fatores que impactam diretamente os agronegócios. Uma das grandes questões sobre o tema é a sustentabilidade e os investimentos, que respondem à diferentes questões, como as mudanças climáticas, a valorização da segurança e das condições de trabalho de seus colaboradores e terceiros, de que forma estão enfrentando a escassez de recursos naturais e quão comprometidos estão com valores éticos e de transparência.

Movimento que está ocorrendo no mundo inteiro, o desempenho dos fatores ESG já é realidade em alguns agronegócios e o serão ainda mais no futuro. Há uma demanda real de clientes e investidores que buscam empresas focadas em sustentabilidade e que tenham “produtos verdes”. Além de pensar nos seus colaboradores e nos seus processos de governança. O desenvolvimento estratégico do agronegócio não pode negligenciar essas questões.

Fique atento ao nosso site para participar das atividades da área Inteligência de Mercado Agro ANEFAC.

38 visualizações0 comentário